Eyeshield 21, YA-HÁ!!!

Fala galera, mais um texto da minha coluna para vocês.

E hoje eu venho aqui para recomendar FORTEMENTE falar sobre um dos meus animes/mangas favoritos: Eyeshield 21. Parece apenas ser só mais uma série de esportes cheia de elementos “mais do mesmo” (coragem, determinação) e pode até ser para muitos, mas não é só isso. Aviso sobre o texto dessa semana: devido o assunto ser sobre futebol americano, colocarei alguns termos próprios do esporte. Vamos lá.

 Kickoff!

Vou começar com algumas informações iniciais para apresentar a obra:

Eyeshield 21 é uma série sobre futebol americano escrito por Riichiro Inagaki e ilustrado por Yusuke Murata. O mangá teve 333 capítulos que foram publicados na Weekly Shonen Jump (formando 37 volumes ao todo) entre 22 de julho de 2002 a 15 de junho de 2009. Já o anime teve 145 Episódios exibidos na TV Tokyo entre  6 de abril de 2005 até 19 de março de 2008. A animação não engloba completamente a obra original (só vai até o volume 27), tendo um final alternativo. A franquia é uma das mais conhecidas e admiradas do Japão, nesse gênero, durante vários anos entrou na lista de mais vendidos em todo o Japão, além de ser exibido e publicado fora do país.

A história acompanha o estudante Sena Kobayakawa da escola Deimon Private Senior High School, ele é só mais um garoto fraco e covarde que passou a vida correndo de valentões, mas por isso mesmo desenvolveu uma velocidade explosiva e uma agilidade fora do comum. Suas habilidades fazem com que o capitão da equipe de futebol americano Yoichi Hiruma “force” Sena a se juntar ao time Deimon Devil Bats como Running Back, escondendo a sua identidade com uma viseira no capacete para que não seja recrutado por outros grupos de esporte da escola. Após a adição, Hiruma espalha um boato para os outros times (sim, ele é um mestre nisso) de que o seu novo integrante é um lendário jogador que participou de partidas nos EUA: o Eyeshield 21.

Assim, o Deimon começa a sua jornada para jogar o Christmas Bowl, que é o campeonato de futebol americano colegial mais importante do Japão. Hiruma, Kurita (outro membro fundador) e Sena se unem e durante a jornada recrutam outros estudantes como Tarou Raimon, Komusubi, Yukimitsu, entre outros, como novos jogadores do time. Uma coisa em comum entre eles é que todos têm uma historia de “fracasso” e buscam na equipe, uma forma de superar o passado e tentar se afirmar para encarar o futuro.

First Down e Time Out

Empolgação: esse é o lema que te prende à obra. Quando eu comecei a acompanhar não sabia muita coisa do esporte e achei, em um primeiro momento, que era extremamente exagerado como Captain Tsubasa (Super campeões). Isso não é um motivo para que eu pare de acompanhar, mas não costumo me deixar envolver demais enquanto o faço. Então para entender melhor o Anime eu fui aprender futebol americano e aí as coisas mudaram.

Primeiro porque descobri que o esporte é ótimo (de verdade), segundo porque tudo o que eu achava extremamente exagerado, na verdade não era bem assim. Não sou hipócrita em falar que tudo visto durante os episódios se mostra completamente verdadeiro, mas ao acompanhar o desempenho de alguns atletas de alto nível da liga profissional americana consigo perceber todas as técnicas que o autor usou para descrever as jogadas espetaculares. Os “sentimentos” e “motivações” dos personagens também podem parecer exagerados à primeira vista, mas falando como alguém que já passou por situações parecidas, muito daquilo ali é exatamente real. A maioria das pessoas que assistirem e tentaram (em algum momento da vida) participar “verdadeiramente” de algum esporte, mesmo não sendo bom nele ou apto, vai encontrar em Eyeshield 21 um momento de nostalgia e identificação com o próprio passado. Durante os episódios é possível enxergar-se durante decisões e momentos que jogadores (seja lá de qual esporte) passam, tudo acompanhado por uma trilha sonora espetacular (destaque para a musica Be Suvivor, que te faz levantar da cadeira e vibrar em certos momentos). Já para aqueles que ainda estão passando isso nesse momento, ou qualquer outro tipo de provação, irão encontrar uma motivação extra para seguir em frente. É realmente e verdadeiramente inspirador.

Mas, como nem tudo são flores, tem também os pontos negativos do Anime: os fillers, que além de numerosos, são geralmente chatos e não acrescentam quase nada ao original; e algumas pequenas mudanças que existem no mangá e não são repassados para a animação. São pequenas e compreensíveis por ser uma adaptação, mas justamente por serem detalhes, a meu ver, não teria porque estarem ausentes. Recomendo assistir aos fillers posteriormente, apenas para divertir-se. Outro ponto negativo é o fato de que o verdadeiro objetivo que o Deimon tanto busca desde o inicio está justamente na parte que não foi animada. O que dá um ar de missão incompleta para quem não correr atrás do restante da história.

Touchdown!

Extremamente recomendado, o anime existe para te fazer entrar ainda mais no universo do mangá, mas assim que terminar de assistir, corra e leia o restante que não foi animado. Os desafios não terminam por ali e arrisco dizer que a verdadeira provação do protagonista só encontra-se nos volumes seguintes. Além de termos a oportunidade de ver o quanto todos os personagens evoluíram jogando juntos em uma saga após o Christmas Bown terminar e o jogo não é contra qualquer um, é contra a seleção do país de maior tradição no futebol americano. Isso mostra também o poder que o esporte pode ter, colocando rivais para lutar em uma causa comum.  Se eles conseguem ou não vencer, vejam por si mesmos.

Aproveitem que irão acompanhar a obra e se informem também sobre o esporte, que está crescendo cada dia mais no nosso país. Tire da cabeça a imagem caricatural de primeiro momento ao ver apenas alguns vídeos de partidas sem entender o que está ocorrendo (o famoso “é só pancada e gente se batendo”). Descubram uma das mais inteligentes, desafiadoras e inclusivas atividades esportivas existentes. E Eyeshield 21 já demonstra em sua história bastante da inclusão que o futebol americano pode apresentar.

Procurem e comecem a assistir AGORA a essa série, pois acredite, ela é uma daquelas em que eu poderia escrever um livro e ainda não conseguiria expressar todos os sentimentos e sensações que acompanhá-la me fez ter.

 

Termino aqui o texto dessa semana para a Kamui’s Brainstorm. Podem deixar sugestões de temas e opiniões no espaço dos comentários. Qualquer coisa, estou também pelo @fabianokamui no twitter. Até a próxima!

VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 9.8/10 (6 votes cast)
VN:F [1.9.22_1171]
Rating: +5 (from 5 votes)

Eyeshield 21, YA-HÁ!!!, 9.8 out of 10 based on 6 ratings

Comente também por aqui:

comentário(s), com aplicativo do Facebook.

SHARE THIS POST

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Buzz
  • Digg
Colaborador
Author: Colaborador View all posts by
  • André Castro (Dé the Best)

    Realmente Eyeshield 021 é uma serie que juntamente com Hajime no Ippo, mudou meu conceito de Animes de Esporte devem ser chatos.

    Se no começo eu me forçava a assistir por indicação de amigos, no final eu estava gritando 
    Touchdown
    !
    !
    !
    Fiquei triste ao ler o mangá e ver que cenas muito épicas não foram animadas, mas sem duvida para quem gostar do anime é obrigatório a leitura do mesmo para a conclusão da história de Senna e seus amigos. Apesar de que com aquele final eu quis muito que tivesse uma continuação.

    Sem sombra de duvida é um anime deve ser assistido. Aprendi muito sobre o esporte e até consegui entender o de porque Hollywood tem tantos filmes sobre Football Americano.

    Ótimo texto!

    YA-HA! 

    VA:F [1.9.22_1171]
    Rating: 0.0/5 (0 votes cast)
    VA:F [1.9.22_1171]
    Rating: 0 (from 0 votes)