Kiss, Lisa Mitchell, Neurosis e outros lançamentos!

Não foi possível escutar tudo que lançaram no mês de outubro, mas vamos a uma pequena revisão do que consegui ouvir e merece destaque.

 

Lisa Mitchell – Bless This Mess (2012)

Uma grande surpresa essa cantora inglesa, já tinha lançado um belo disco chamado Wonder (2009), que tinha uma música fantástica chamada Neopolitan Dreams.

Agora com o novo disco, já começa com a bela música Providence, um folk pop muitíssimo bem feito, e o disco é recheado de belas músicas e melodias assobiáveis, mas praticamente a música que deve ser trabalhada vai ser a faixa titulo, com belos vocais, uma guitarra gostosa de se escutar e um gostoso refrão de sair cantando pelas ruas, trens e carros. Bom disco.

http://www.myspace.com/lisalisamitchell

http://www.youtube.com/watch?v=R8UeJkfNZik

 

Kiss – Monster(2012)

Quando o Kiss anunciou que iriam lançar um disco novo, pensei que fosse outro disco ruim para ganhar dinheiro em cima dos seus fãs, mas ao escutar a faixa que abre o disco, Hell or Hallelujah, percebi um riff bem legal, algo moderno com uma sonoridade antiga sensacional.

E o disco continua nesta pegada, riffs sobre riffs, divertido e rock roll no melhor estilo Kiss. A sonridade não muda muito no decorrer do CD (o que o torna um pouco enjoativo). Destaque para a faixa Back to the Stone Age, que  vai fazer você desejar ouví-la em um show, dentro de casa (no volume máximo), e no som do carro também (alto como um funkeiro).

http://www.kissonline.com/

http://www.youtube.com/watch?v=j_7jb4M0N7I

 

El Efecto – Pedra e Sonhos (2012)

Uma banda carioca, que já possui três álbuns e um EP, que mistura diversos ritmos em sua música, como metal, flauta, frevo e outras surpresas mais. Letras interessantes, que fogem um pouco do lugar comum das bandas brasileiras, só escutar a primeira música O Encontro do Lampião com Eike Batista, letra ácida, mas a música é divertidíssima.

A faixa, Pedras e sonhos, têm influência de música nordestina e vai se transformando em algo grandioso, que quando você repara já está dançando, quem gosta do Cordel do Fogo Encantado, tem que comprar o disco que está no site, e torcer para tocar em São Paulo, pois é uma grande banda. RECOMENDADÍSSIMO

http://www.elefecto.com.br/

 

– Honor Found In Decay (2012)

Neurosis começou como uma banda Trash Metal, mas foi moldando seu som até sinceramente se tornar uma banda interessantíssima, com influências de Black Sabbath e Pink Floyd. A banda lançou um disco que, não só os fãs de metal deveriam escutar como do indie, folk e  pop.

Letras interessantes, talvez até polêmicas, mas o que faz dessa banda de metal ser diferente das demais, é a sensação que ela causa, é claustrofóbica, sufocante, perturbadora, você sente a música, e pior que ela não te deixa feliz, ela te faz refletir,  é como escutar o disco do Radiohead, OK Computer. O disco todo é uma sensação aterrorizante do fim do mundo, mas sempre com algumas melodias que você pode pensar que ainda ha alguma esperança, mas apenas algumas.

http://www.neurosis.com/

http://www.youtube.com/watch?v=NGc6Q0cmQXY

 

Anberlin – Vital (2012)

Depois de escutar o Neurosis, nada como voltar a ter fé, com essa boa banda de rock alternativa cristã chamada Anberlin. O vocalista diz que a banda não é cristã, mas letras como Little Tyrant e Other Side os entregam. Pode-se perceber também, uma grande influência do Depeche Mode. Escute e comprove.

O disco Vital, é bom para quem curte de Linkin Park, Evanescence e afins. Faixa de destaque:  Someone Anyone.

http://www.anberlin.com/

http://www.youtube.com/watch?v=VaLE-Yy9a8w

 

Bat For Lashes – The Haunted Man(2012)

Na verdade o Bat For Lashes é uma única pessoa que se chama Natasha Kan, inglesa multi-instrumentista. Já possui três álbuns com esse lançamento.  Chegaram, até falar que ela era a nova Bjork.

Até que lembra um pouco, pois a sonoridade da banda é uma mistura de Bjork, com Patti Smith, e uma pitada de gótico.

O disco é bem interessante, mas não é o grande lançamento indie, que a critica lá fora adora falar. Faixas como Horses of the Sun lembra a banda gótica Clan Xymox, a faixa Oh Yeah, que sim, é totalmente algo que a Bjork faria, Darkwave e batidas eletrônicas interessantes. Mas a grande faixa é Haunted Man, muito bela. Não é um disco que você vai gostar de cara, mas quando começar a escutar mais vezes, dificilmente vai querer parar.

http://www.batforlashes.com/

http://www.youtube.com/watch?v=EXK0Ejzin4c

 

Stone Sour – House of Gold & Bones Part I

Vou ser bem sincero, não gosto da banda, acho que o murmurinho sobre o Stone Sour, é mais por causa da banda principal do vocalista e pianista Corey Taylor (Slipknot).

Acho os dois álbuns anteriores chatos, com alguns riffs bacanas, mas nada que o Soundgarden não tivesse feito antes.

Esse disco vai na mesma linha, só que um pouco mais de riffs e solos, e quantos solos! Não pode ter um espaço na música que alguém bota um solo de guitarra lá. Mas o Corey Taylor está cantando muito bem, uma coisa que não me agradava na banda era justamente sua voz,  mas agora ela está  mais melódica, mais agradável. Porém, a mistura de grunge e metal deles não me agrada. As melhores músicas do cd, são as que levemente lembram um pouco o Slipknot!!!

http://www.stonesour.com/

 

Lindi Ortega – Cigarretes & Truckstops

Essa canadense fofa, linda, com uma voz gostosa, que canta Country de verdade, já tinha lançado um disco chamado Little Red Boots (2011), que era uma delícia.

Agora com Cigarretes & Truckstops, lançou o melhor disco Country do ano. Johnny Cash deve estar orgulhoso, não tem como não gostar deste disco, da voz da Lindi.

A produção do disco é bacana, parece que você está escutando um disco country dos anos 60, todas as músicas do cd são ótimas. Tomara que alguma gravadora grande a descubra, pois ela não pode passar despercebida, melhor escutar ela nas rádios, nas tvs do que as Teenage Dreams. SUPER-RECOMENDADO, na verdade o melhor cd do mês!!!!

http://lindiortega.ca/

http://www.youtube.com/watch?v=xUfFJf6CLuM&feature=related

Cohed and Cambria – The Afterman Ascencion (2012)

Não é a toa que essa banda a cada dia conquista mais espaço e fãs também. Sempre lançam bons discos, e eu acho que dessa vez acertaram em cheio. Escutar o disco The Afterman nunca é enjoativo. Cada música é diferente da outra, todas as letras são interessantes. São bons músicos, pois eles conseguem passar por todas vertentes do Heavy Metal, de uma forma sólida.

Todas as faixas do disco são ótimas, e acho que até pessoas que não tem mais paciência para escutar mais Heavy Metal, deveriam dar uma escutada neste disco é um bom começo para gostar da banda. Sem dizer que a faixa Key Entity Extraction I; Domino the Destitute, lembra um pouco a trilha do filme de terror Suspiria, e uma observação a música Mother Of Men o começo  é muito parecida com a clássica música Saint Seiya. Ouça! RECOMENDADÍSSIMO

http://www.coheedandcambria.com/

My Dying Bride – A Map For All Failure (2012)

E a banda mais depressiva do mundo, lança seu décimo primeiro disco, talvez seja a maior alegria (ou tristeza) dos fãs da banda. Brincadeiras a parte, é uma ótima banda no que ela propõe a fazer, que é lhe deixar triste e sem esperança só o nome do titulo do disco já nos deixa refletir (Um Mapa de todos nossos Fracassos).

Agora as letras e músicas em si, são todas, como dizer, densas, poéticas, belas, como um conto de Edgar Alan Poe. Para quem não conhece o grupo, não é uma banda que você escutararia num dia de sol, ou num churrasco com amigos. O clima do disco é todo negro, com uma mancha branca lá no fundo, como a luz do fim do túnel. Não tem vocais belos femininos, como o gothic metal, é algo tenso, arrastado, lúgubre mesmo. Mas para quem gosta da banda, escuta sem medo, não é o disco mais pesado do My Dying Bride, quase não possui as partes de Death Metal, é DOOM Metal puro, não é inovador, pois eles criaram um estilo único, e dificilmente vão mudar. Bom disco como sempre, agora para as pessoas que não conhecem a banda, e quiserem experimentar… Boa sorte!

http://www.mydyingbride.net/

http://www.youtube.com/watch?v=G86dppRBtxs

 

Maiden United – Across The Seven Sea (2012)

Fazer um tributo ao Iron Maiden, em versões Folk/acoustic, até que é interessante, pois o Iron Maiden possui músicas que dariam até um bom disco.

Mas quando alguém sem ser o Iron Maiden tem essa ideia, e com algumas músicas que os fãs as vezes nem lembram, fica um pouco estranho. Não dá para imaginar um disco acústico sem Fear Of The Dark, Run To The Hills, Rime The Ancient Mariner, etc.

Esse projeto formado por músicos famosos do Metal Europeu é tão perfeitinho, bem cantado, que algumas músicas ficaram chatas como Flash of  Blade, Prowler e conseguiram também deixar chata, Two Minutes To Midnight, uma das músicas mais legais do Iron. Mas em compensação, Wasted Years não tem como errar, ficou muito bonita, e Evil That Men Do, também ficou belíssima. Se você for um grande admirador da Donzela, talvez goste. É um disco interessante, mas se sente que tem tanto capricho às vezes até estraga o produto final.

http://www.maidenunited.com/

http://www.youtube.com/watch?v=n4Y97_shy5o

 

François Breaut –  La Chirurgie Des Sentiments (2012)

Não conhecia muito bem, esta cantora francesa, somente sei que ela tocou com Yann Tiersen na música Les Forges, e como sempre queria escutar algo mais com a voz dela, descobri que ela já tinha lançado alguns álbuns difíceis de encontrar, mas quem procura acha, e como o fim do mundo está chegando…

Ela lançou um disco em outubro, que é muito interessante.  Claro para quem gosta de French Chanson, uma ótima cantora, que chega a lembrar algumas músicas da cantora folk, Nico (do clássico disco Desertshore 1970). Um disco bem introspectivo, com instrumentos estranhos como na segunda faixa, que a batida eletrônica da música deve ser um game boy. Para quem gosta de músicas menos comerciais, é um disco legal!!!

http://www.francoizbreut.be/

http://www.youtube.com/watch?v=ohYRAGv7ZPY&feature=related

 

The Wallflowers – Glad All Over (2012)

E o filho com pouco talento do Bob Dylan, Jakob Dylan continua sua carreira musical. A banda que possui um hit que nem deles é ainda por cima, Heroes (David Bowie)!!!

Reuniram-se (para que, meu Deus?), para lançarem esse disco Glad All Over, disco sem sal, mesmo tendo convidado o Mick Jones do The Clash, para participar em duas faixas. Este disco não deslancha, você escuta, escuta novamente e na terceira vez, você sabe que nada se salva. Com tantos discos legais no mês de outubro, esse foi quase tão triste, quanto a volta do Smash Mouth, para não dizer que nem tuda está perdido, tem uma balada (claro) legal e só, mas para quem  curte a banda, talvez agrade, TALVEZ.

http://www.thewallflowers.com/

http://www.youtube.com/watch?v=4QY08MoM97k

Cradle Of Filth – The Manticore and Other Horrors (2012)

Cradle Of Filth é uma banda Inglesa que já possui nove discos. Junto com Emperor e Dimmu Borguir, mudaram um pouco a lei do metal extremo que eram produções toscas de propósitos, para algo com melhor qualidade, o que para alguns admiradores do estilo era e ainda é inadmissível.

Cradle of Filth, sempre foi uma banda que, ou você gosta muito ou vai odiar para sempre, mas não se pode falar que seus discos são ruins. Mas infelizmente a banda anda fazendo discos fraco sim. Manticore não chega nem perto dos discos clássicos do Cradle, pois a banda mudou totalmente o seu direcionamento musical. O que antes era o Black Metal com influencias Góticas, agora é apenas Heavy Metal, com órgãos e teclados como pano de fundo. Então para os que gostam da banda ou para pessoas que começaram a escutar agora o Cradle of Filth, como um disco de Black Metal, é ruim, como disco de Heavy Metal, é bem legal. Faixas bacanas como The Abhorrent, For Your Vulgar Delectation, Palid Reflection. O disco todo é bacana, mas para quem gostava da banda antigamente, é melhor deixar para lá, e ficar escutando Dusk Her Embrance, Vempire or Dark Faerytales.

http://theorderofthedragon.com/

http://www.youtube.com/watch?v=Z3tZhKM-kz4

 

The 69eyes – X (2012)

Uma das bandas mais legais da Finlândia. No começo a era puro Hard Rock, com influencia de Kiss, Guns Roses. Só que no disco que deu uma mudada na carreira deles, chamado Wasting Dawn (1999), eles misturaram o Hard Rock que faziam, com o tal de Love Metal, um estilo que foi caracterizado na Finlândia com o surgimento de bandas como Him, Entwine, Lullacry, que eram bandas praticamente de Hard Rock, mas sempre tinha letras relacionadas ao goticismo, como vampirismo, desilusão, poesia, diferentes das bandas americanas que eram apenas sexo, drogas e rock n roll.

Com a mudança de direcionamento, a banda começou a se sobressair, aparecendo em revistas, fazendo turnês nos EUA. E Tudo multiplicou quando fizeram bons discos como Blessed Be (2000), Devils (2004) etc. Agora lançam o seu décimo disco, X, que não muda em nada o que eles faziam. Continua a voz grave a lá Sisters Of Mercy, o bom e velho rock roll, as boas baladas góticas cheios de teclados. Quem não conhece a banda, coloquei no post um vídeo clipe antigo da banda.

http://www.69eyes.com/

http://www.youtube.com/watch?v=TRUYs2cKcX0

VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 0.0/10 (0 votes cast)
VN:F [1.9.22_1171]
Rating: +1 (from 1 vote)

Comente também por aqui:

comentário(s), com aplicativo do Facebook.

SHARE THIS POST

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Buzz
  • Digg
Colaborador
Author: Colaborador View all posts by